Trabalhar em equipa para conseguir avançar

Lua Cheia em Aquário – 24 de Julho, 02:38

O Sol entra hoje, dia 22, no signo de Leão! O convite é para nos deixarmos guiar mais pelas nossas paixões, para ganharmos entusiasmo pela nossa vida. Começa uma fase em que devemos alimentar a nossa chama interior mais do que nunca, de fazermos maior uso da nossa criatividade, de cultivar mais alegria, de sermos um pouco mais como as crianças: brincalhões, curiosos, corajosos e com um coração do tamanho do mundo!

Este ano, durante a época de Leão, temos duas Luas Cheias em Aquário. A primeira é já no próximo dia 24.

As Luas Cheias pedem-nos sempre que equilibremos duas energias opostas. Neste caso, teremos de equilibrar a energia de Leão, onde está o sol, com a energia de Aquário, onde está a Lua.

É como se tivéssemos de colocar algum gelo naquilo que já esteja a arder demais ou que esteja a arder no sítio errado.

Aquário pede-nos que usemos a cabeça e não apenas as emoções. Muitas vezes, é de grande ajuda colocarmo-nos um pouco à distância para observarmos as coisas com mais clareza. Quem se consegue observar a si próprio com algum distanciamento, aqui e ali, está no lugar ideal para conseguir efetuar as mudanças que pretende.

Muitas vezes envolvemo-nos emocionalmente demais e não há nada de errado nisso, faz parte da bela experiência humana. Contudo, se nos deixarmos engolir pelas emoções, acabamos a reagir instintivamente e a tomar ações que não serão as mais corretas nem para nós, nem para os outros.

O eixo Leão/Aquário também nos vem lembrar de equilibrarmos o «que eu quero e desejo» com o «que é melhor para todos e para o futuro». Motivos egoístas não nos levam muito longe. E decerto que, se tentarmos, devemos encontrar uma forma de viver a vida que nos faça felizes, ao mesmo tempo que contribuímos para um mundo e um futuro melhores, para a felicidade dos outros.

A Lua em Aquário vem lembrar-nos de que pertencemos uns aos outros, de que estamos interligados, embora sejamos diferentes e aparentemente independentes. Aquilo que um faz ou deixa de fazer influencia o grupo a que pertence: influencia a família, os amigos, a cidade, o país, a humanidade.

Esta lunação dá-nos uma grande oportunidade de abrirmos o coração e a mente, de forma a compreendermos verdadeiramente como nos podemos entreajudar. Estaremos mais dispostos a perdoar, a escutar e a estender a mão. Podem ser coisas grandiosas ou coisas simples, mas estaremos em posição de fazer algo que facilitará a vida de alguém.

É tempo de cultivar a amizade e a humanidade em nós. Não precisamos de ir muito longe. De certeza que há alguém por perto a precisar de algo que nós podemos dar. Basta retirarmo-nos um pouco das intermináveis ondas dos nossos anseios e dos nossos medos para percebermos que podemos fazer muito pelos outros.

Nem nos cabe a nós saber o que é muito. Às vezes até podemos achar que é pouco, que gostaríamos de fazer mais, de dar mais… Contudo, quem sabe a diferença que um sorriso, um elogio sincero, um «bom dia» podem fazer?! Quando damos «um pouco», mas de coração, a outra pessoa pode estar a receber «muito»… Não desperdicemos oportunidades de fazermos os outros acreditarem num mundo melhor.

É tempo de fazermos crescer a humanidade dentro de nós, de aproveitar o que temos em comum e o que temos de diferente.

É tempo de alimentarmos as nossas amizades.

É tempo de ajudarmos alguém a seguir em frente.

É tempo de nós próprios seguirmos em frente, de olharmos para a nossa vida como se estivéssemos do lado de fora, para nos vermos com maior lógica, com maior realismo, e conseguirmos fazer as alterações necessárias que nos conduzirão ao futuro que desejamos.

Esta Lua Cheia traz relâmpagos intuitivos, traz uma energia potencial enorme para ultrapassarmos os nossos limites, com novas estratégias e com formas de agir que conciliem os nossos ideais com os dos outros.

A quadratura entre Saturno e Úrano (o regente antigo e o regente moderno de Aquário), activa até ao final do ano, pede-nos, entre outras coisas, mudanças radicais na estrutura da nossa vida, que nos assustam e que nos deixam inseguros… Mas em vez de nos perdermos a imaginar o que pode correr mal, devemos ocupar o nosso cérebro com questões pertinentes, como, por exemplo:

  • o que devo mudar (em mim, na minha vida)?
  • como posso mudar? (um pequeno passo de cada vez é sempre mais fácil)
  • como posso contribuir para a mudança positiva do mundo?
  • como posso ajudar outros no processo de mudança?
  • o que já aprendi com a minha experiência?
  • o que posso fazer para ganhar estabilidade (cuidar da saúde, fazer uma poupança,…)?

Alimentar o cérebro com questões pode resultar em soluções, alimentar o cérebro com preocupações, só resulta em medo e incapacidade de agir.

Agora, é muito importante que encontremos novas soluções e que nos adaptemos ao novo mundo em formação. Mas não nos devemos esquecer que, como fazemos parte do mundo, também é nossa responsabilidade contribuir para a mudança.

Vamos lá fazer mudanças positivas pelo nosso futuro, pelo futuro de todos?

Domesticando os nossos demónios – 16 e 17 de Julho

A Lua Nova acontece quando o Sol e a Lua se encontram no mesmo signo.

A Lua Cheia acontece quando a Lua passa pelo signo oposto ao signo do Sol.

O quarto crescente acontece quando a Lua está a meio caminho entre a Lua Nova e a Lua Cheia – forma uma quadratura com o Sol, um ângulo de 90º no mapa astrológico.

Como é óbvio, acontecem todos os meses, mas costumam passar mais ou menos despercebidos. Este não vai passar despercebido.

O Sol ainda está em Caranguejo, a mostrar-nos como devemos fazer para nos sentirmos melhor em casa, melhor no nosso corpo, melhor na nossa mente. Queremos descanso e que ninguém nos moa a cabeça com este calor. Aqui andamos, nas calminhas, a ver o que é melhor para cozinhar (ou mais fresco para beber), a pôr as paredes mais brancas, a desalojar as pobres das aranhas dos cantos da casa, a aproveitar as férias com a família, a dormir sestas, a pensar nos bons velhos tempos (porque se a memória for nossa amiga, os tempos velhos tornam-se sempre bons)… Até que…

O Sol faz frente a Plutão. E a Lua faz quadratura ao Sol e a Plutão. Alguém o despromoveu, mas ele ainda não passou a «Plutinho», continua o poderoso e muitas vezes assustador Plutão, tanto quanto tenho reparado.

Estes dias trazem descobertas importantes, trazem necessidade de libertação emocional (ou mesmo física), chamam-nos para compreendermos mais profundamente as motivações e os medos de quem temos por perto.

São dias intensos e algo pesados, que nos permitirão alargar a nossa zona de conforto e ajudar alguém próximo a fazer o mesmo. São dias de criação de verdadeira intimidade, dessa que mete medo, porque põe a alma a nu.

São dias de partilha de segredos.

São dias em que podemos encontrar-nos em posição de aliviar o sofrimento de alguém.

São dias em que temos de enfrentar os nossos demónios. Nem vale a pena dizer que foi o outro que nos trouxe o «demónio», temos vontade disso, sempre. A culpa é sempre do outro. E nestes dias, a culpa vai continuar a parecer que é do outro. A não ser que tenhamos a coragem de ser senhoras e senhores para assumir que já trazíamos o demónio às costas (desde aqueles «bons velhos tempos») e que o outro só o acordou.

Estes são excelentes dias para (pelo menos tentarmos) domesticar os nossos demónios. Alguém vai querer brincar com eles, acordá-los, ver como são e o que fazem. E nós, em vez de continuarmos a dizer que aquele «bicho» não é nosso, que o «bicho» não somos nós e que a culpa é da mãe e do pai e do espírito santo e do governo… Só temos de assumir que a fera realmente é nossa, mas que não pode tomar o controlo. Porque nós podemos respirar fundo antes de reagir, podemos responder com silêncio quando as coisas ficam demasiado exaltadas. Podemos correr, saltar, dançar e cantar até libertarmos tudo, em vez de fazermos algo de que nos vamos arrepender.

E se tudo correr bem, podemos ter alguém em quem confiar os nossos segredos e os nossos desejos, alguém que nos ajude a domar o nosso pequeno e «fofinho demónio», olhando de frente para ele, assumindo as dores que ele às vezes nos dá, por nos lembrar dos nossos fracassos, por nos fazer acreditar nas nossas incapacidades, por nos martelar constantemente com incertezas e medos, por nos encher de ansiedade…

Nestes dias, devemos encontrar estratégias para lidar com o nosso lado «sombra», com o nosso demónio. Dar-lhe luz é sempre a melhor estratégia, claro. Tudo o que tentamos manter escondido vai ganhando poder sobre nós. Vamos ter de refletir sobre aquilo que nos atormenta e estaremos em posição de ganhar uma nova perspetiva, seja através de uma conversa importante, de uma informação que nos chega de algum lado, de uma nova experiência que nos ajudará a ultrapassar alguns bloqueios…

A morte é um grande medo generalizado. Durante estes dias também teremos de contemplar, de alguma forma, a morte (o aparente fim ou a alteração profunda de algo na nossa vida). A vida é feita de ciclos, de nascimentos e mortes. Sabemos disso. Neste mundo que experienciamos, o espaço e o tempo põem limites em tudo. Temos de aprender a viver com isso, mas também podemos, aqui e ali, transcender esses limites, sonhar, acreditar, amar, sentir além dos sentidos, tornar momentos eternos tocando outra alma com a nossa.

Não nos deixemos enganar pela finitude do que é físico, somos muito mais do que isso. Não viemos cá para «crescer, reproduzir e morrer». Viemos cá para evoluirmos em conjunto. Para assimilarmos maneiras de sermos melhores humanos, de nos aproximarmos de Deus/Amor.

Vamos lá lembrar-nos disto quando alguém nos premir o botão «errado».

Nutrir rebentos – Lua Nova em Caranguejo

10 de Julho (01:18)

Já falta pouco para iniciarmos mais um mês lunar. Amanhã, o Sol e a Lua reúnem-se em Caranguejo, a casa natural da Lua.

Agora estamos na chamada «Lua negra», os dias anteriores à Lua Nova, mais propícios para olharmos para dentro de nós. É tempo de finalizar algumas coisas, de pôr outras em ordem e de pensarmos nas intenções que temos para o próximo mês. Assim que a Lua começar a crescer, depois de dia 10, devemos aproveitar o seu apoio para nutrirmos o que queremos ver crescer na nossa vida.

Esta lunação marca o início de uma nova fase emocional. Desde que o Sol entrou em Caranguejo, no dia 20 de Junho, temos vindo a pensar como nos havemos de sentir melhor na nossa pele. Andamos em busca daquela paz interior que vem da certeza de termos um lugar que é nosso, que vem de sabermos que somos amados. Andamos em busca do conforto e da segurança nas nossas «casas», seja na nossa casa propriamente dita, no sítio onde trabalhamos, dentro da nossa pele, dentro da nossa mente…

E temos tido vislumbres dessa segurança interior, desse sentimento de quem tem um lugar ou um tempo para se regozijar de colo e da sensação de pertencer a algo ou alguém. Mas também temos percebido em que níveis precisamos de trabalhar e de nos esforçar para manter ou elevar esse sentimento de estarmos bem na nossa pele, no nosso espaço e na nossa vida.

Esta Lua Nova vem recordar-nos dos cuidados que precisamos ter connosco, com os outros, com o nosso mundo.

Caranguejo representa a maternidade/paternidade e agora está na altura de entrarmos em maior contacto com esse nosso lado. Esse significado é (também) literal e devemos tomar mais atenção aos nossos filhos e à nossa relação com eles. Haverá celebrações a fazer e outras coisas a ajustar.

Mas também devemos cultivar agora uma atitude mais «maternal/paternal», começando connosco.

O que podemos fazer para cuidarmos melhor de nós? A nível físico, mental e emocional?

Como nos podemos orientar melhor para evoluirmos? De que formas podemos alimentar o nosso crescimento?

O que está ao nosso alcance fazer para nos sentirmos mais confortáveis?

Que medidas precisamos de tomar para nos sentirmos mais seguros e confiantes?

Depois de cuidarmos de nós (o que deve ser uma prioridade), devemos então virar-nos para quem temos em redor e tentar perceber o que podemos fazer pelos outros para que se sintam também seguros, confiantes, compreendidos, apoiados, amados…

É uma fase maravilhosa para estreitarmos laços com quem já mora no nosso coração e para tomarmos ações no sentido de elevarmos o nosso sentimento de pertença, de ligação próxima.

Atenção apenas para mantermos a comunicação e a perceção abertas, e não nos deixarmos ir naqueles comportamentos que criámos ainda em crianças. É bom cuidarmos da criança que temos dentro e deixá-la vir à superfície, mas não devemos deixá-la controlar-nos, especialmente se ela se sentir magoada. Sentimentos muito antigos e não totalmente digeridos e integrados podem fazer com que não interpretemos as situações como elas são realmente, agora. (Atenção a birras e amuos)

Portanto, esta é uma boa altura para compreender e integrar memórias emocionais antigas, e deixarmos de reviver sempre os mesmos dramas.

A sensibilidade está muito elevada, e por isso devemos aproveitar para compreendermos os outros de uma forma mais profunda, em vez de apenas assumirmos que fazem isto ou aquilo porque são assim ou assado.

Vamos aproveitar, porque é tempo de crescermos, cada um de sua forma… E de apoiarmos o crescimento dos outros, de uma forma carinhosa e compreensiva.

É tempo de proteger e nutrir os rebentos (os inícios) que vemos em diferentes áreas da nossa vida para os vermos a ganhar força e desenvolverem-se plenamente nas próximas semanas.

Feliz Lua Nova em Caranguejo!

Lua Cheia em Capricórnio

24 de Junho de 2021

Quando o Sol está em Caranguejo, tendemos a procurar aquilo que nos faz sentir mais seguros e amados, a reacender ou elevar um sentimento de pertença – a alguém, à família, ao país…

Contudo, os comportamentos que nos dão a sensação de segurança são os nossos hábitos mais enraizados, e alguns deles não nos são favoráveis…

Ter maior consciência das nossas emoções, o que é pedido em Caranguejo, pode levar-nos ao passado, para que encaremos os nossos padrões de comportamento mais imaturos ou infantis. E quem não tem um ou outro aqui e ali?

A oposição entre Vénus e Plutão, nos últimos dias, levou-nos a reformular a nossa forma de nos relacionarmos e a alterar alguns aspetos nas nossas relações. A visita àquelas partes mais sombrias da interação com os outros esteve, felizmente, bem temperada com a sabedoria e o bom humor de Júpiter.

Portanto, as dores de encarar aquilo que não tem funcionado nas relações (e na vida financeira) foram mais leves e saímos com uma perspetiva mais elevada daquilo que temos de mudar em nós, daquilo que temos de curar e libertar na nossa criança interior.

Agora, a Lua chega a Capricórnio e recorda-nos que é tempo de sermos adultos, de ganharmos maturidade e responsabilidade.

As visitas ao passado não podem servir para nos prender, devem servir para nos libertarmos. Não devemos ficar apegados a quem fomos e ao que foi, acreditando que assim vamos ser e assim vai ser.

É tempo de aprender e de crescer. De usar a experiência para fazer acontecer de forma diferente. É tempo de libertar ciclos viciosos.

Em breve sentiremos Marte a fazer oposição a Saturno e quadratura a Úrano, activando a tensão que temos na nossa vida entre o que sempre foi e o que vai ser, entre as regras e a rebeldia. Vão sentir-se travões onde estivermos a deslizar por onde não devemos…

Vamos ter de chegar a um ponto de acordo em que escolhemos agir na direção daquilo que nos faz sentir entusiasmados, ao mesmo tempo que temos de aceitar compromissos para o futuro que não serão de todo fáceis, mas que sem dúvida vão elevar o nosso sentido de valorização interior.

Desejo-vos uma Lua Cheia de Maturidade que acalma a Alma!

Comunicar com sensibilidade

Eclipse em Gémeos – 10 de Junho de 2021

A próxima Lua Nova é também um eclipse do Sol, o que quer dizer que a sua energia vai muito além deste mês e marca temas para se trabalharem ao longo do resto do ano.

A energia de Gémeos, que está em crescimento desde o ano passado, tem tudo a ver com comunicação, pensamento, compras e vendas, pequenas viagens, relações com irmãos, colegas, vizinhos…

A quadratura que o Sol e a Lua, em Gémeos, farão com Neptuno, em Peixes, reflete a necessidade de ajustar a lógica com a intuição, o raciocínio linear com a imaginação, a cabeça com o coração… A interação com a energia de Peixes recorda-nos a importância de comunicar com sensibilidade e sentimento. Além disso, devemos fazer o possível para flexibilizar o nosso pensamento e tentar dissolver alguns padrões mentais mais rígidos.

Este eclipse é um marco para desenvolvermos a comunicação além das palavras, para treinarmos a compaixão, para escutarmos mais compreensivamente.

A energia tem uma aura de dúvidas e incertezas, que não nos deixa chegar a conclusões certeiras e nos remete para a troca de ideias, para discussões abertas, em que devemos tentar expressar-nos claramente, procurar soluções imaginativas, praticar ver as coisas por outro prisma, colocar-nos nos sapatos de outro

O planeta regente do eclipse, o rápido mensageiro Mercúrio, está também no signo de Gémeos, uma excelente posição, porque é como se estivesse em casa, ajudando-nos a clarificar as ideias. Contudo, está retrógrado, o que significa que não vamos ver, pelo menos para já, enormes avanços. Para já, devemos fazer um pouco como Mercúrio, abrandar, voltar atrás, reformular planos, arranjar pontas soltas na nossa vida, tratar de assuntos que ficaram por terminar. Olhando um pouco para o passado, é bem provável que descubramos técnicas ou ideias que nos serão bem úteis daqui em diante.

Estão favorecidas as restruturações de planos, as renovações, a retoma de projetos antigos, visitas a amigos de longa data, estudos de assuntos já introduzidos…

A energia do eclipse, para cada signo

Seguem-se as influências gerais para cada signo, que podem ser lidas de acordo com o signo solar, mas devem ser lidas de acordo com o ascendente. Estas energias serão modificadas de acordo com a interação com os planetas do mapa natal, que é único para cada pessoa.

Gémeos – Eclipse na casa 1

Surge a necessidade de renovar o visual e retomar a atenção a si, ao seu corpo. É altura de se focar mais no que deseja e no que precisa, pois está no processo de iniciar uma nova fase da sua vida. No trabalho pode haver alguma confusão e incertezas e deve ponderar delegar responsabilidades.

Touro – Eclipse na Casa 2

É preciso olhar mais honestamente para a sua situação financeira e redefinir estratégias de poupança/investimento. Deve valorizar mais aquilo que tem, por exemplo renovando roupa e/ou móveis. Será boa ideia arranjar outra fonte de rendimento. Família e amigos estarão disponíveis para ajudar no que for preciso. É bom lembrar que a situação financeira reflete sempre o nível de auto-estima. Elevar o sentimento de valor próprio e desenvolver as suas capacidades vai ter efeitos positivos na vida financeira.

Carneiro – Eclipse na Casa 3

É importante ter em atenção a saúde mental, abrandar um pouco, descansar, para não entrar em esgotamento. Muita atenção às compras que fizer nas próximas semanas, porque a tendência é para que haja devoluções, trocas e atrasos na entrega. Numa nota muito positiva, está favorecida a reaproximação com irmãos, colegas e vizinhos. O estudo de línguas estrangeiras também é indicado ao longo dos próximos meses. Muito importante é a área da espiritualidade – está numa excelente fase para rever as suas crenças e perceber o que realmente o apoia na vida prática. Fase propícia a serviço voluntário e doações.

Peixes – Eclipse na Casa 4

Conversas importantes com alguém próximo vão ajudá-lo a ver-se de um novo ângulo e a libertar emoções.

Ao longo dos próximos meses estão favorecidos convívios com a família e a renovação do lar, como pequenas obras e arranjos, uma nova disposição da mobília, pinturas e limpezas gerais.

Aquário – Eclipse na Casa 5

Entra numa fase de revitalização da vida romântica, deverá pensar mais em momentos divertidos e amorosos.

Ao longo dos próximos meses, far-lhe-á bem retomar atividades lúdicas e hobbies, como a leitura, a escrita, trabalhos manuais, caminhadas/corridas, …

A relação com os filhos também deve ser trabalhada, arranjando mais tempo para momentos de qualidade.

Atenção a gastos demasiado espontâneos, principalmente relacionados com os filhos e os hobbies, assim como com jogos de apostas.

Capricórnio – Eclipse na Casa 6

Está na altura de restruturar as rotinas diárias e repensar os hábitos relacionados com a saúde – alimentação, exercício, postura, qualidade do colchão e da almofada, etc.

Seria aconselhável retomar a prática de exercício físico, principalmente com companhia.

A alimentação deve tornar-se mais leve.

Deve fazer o que estiver ao seu alcance para curar a ligação entre a cabeça e o corpo, porque uma tendência para pensamentos mais negativos ou ansiosos poderá refletir-se em doença física. É uma boa ideia procurar interação, conversas bem-dispostas, treinar a mudança de perspetiva.

Sagitário – Eclipse na casa 7

Encontra-se numa fase de redefinição da forma como se relaciona com os outros. Pode haver uma reaproximação de alguém e deve contar com conversas e notícias importantes de pessoas próximas, ao longo dos próximos meses.

Estando as relações em foco, não só as pessoais, mas também as profissionais, deve ter em atenção a sua capacidade de compreender o outro lado, colocando questões de forma cordial e diplomática, para que não haja espaço para dúvidas e para o surgimento de mal-entendidos. Não podemos simplesmente assumir as motivações por trás dos comportamentos dos outros. É importante manter o diálogo e promover a colaboração.

Escorpião – Eclipse na casa 8

Está a entrar numa fase de maior aproximação e intimidade na relação amorosa. É importante cultivar a abertura e honestidade acerca dos sentimentos mais profundos.

É altura de repensar as sociedades de que possa fazer parte, avaliando bem se será necessário equilibrar benefícios e deveres.

Se precisar de um empréstimo, tente fazê-lo apenas depois da primeira semana Julho.

Deve ter cuidado com as ilusões de ganhos no jogo – as perdas são mais prováveis agora.

Balança – Eclipse na casa 9

A energia é muito favorável a Balança, pois traz a leveza de uma perspetiva mais elevada. Os horizontes são alargados e abre-se espaço para redefinir a Visão que se tem para a vida, com uma base otimista e esperançosa.

É uma boa fase para retomar estudos, viagens, para reencontrar outras culturas, para se reaproximar de pessoas com uma Visão diferente.

Virgem – Eclipse na Casa 10

É necessário ajustar os próprios objetivos e responsabilidades com as necessidades daqueles com que se relaciona. E isto é verdade para as relações profissionais (colegas, clientes, chefes…), mas também é preciso um maior esforço para equilibrar as relações pessoais com a vida profissional e outras responsabilidades. A energia é favorável para redefinir planos, para retomar projetos de trabalho, levando em consideração o que os outros precisam.

Leão – Eclipse na casa 11

Entra agora numa fase de reaproximação com amigos e de revitalização dos projetos que tem em grupo.

É uma altura para se livrar de inseguranças e para colocar mais ênfase no seu futuro, sendo que alguns dos seus objetivos podem ter de ser redefinidos. Será necessário fazer algumas concessões, de forma a seguir em frente.

Caranguejo – Eclipse na Casa 12

A sensibilidade é agora maior, por isso é aconselhável isolar-se um pouco mais, de forma a perceber melhor os limites entre si e os outros. Está favorecido o autoconhecimento, um maior contato com o seu inconsciente, com o seu lado espiritual.

É uma fase em que precisa de descansar mais, de recarregar baterias, de dar mais atenção ao mundo interior do que ao mundo exterior.

Atenção a uma maior tendência para vícios, usados para escapar à realidade. Podem parecer mais ou menos inofensivos (televisão, net, álcool, antidepressivos, …), porém evitam aquilo que deve fazer agora – ter um contato mais próximo com aquilo que corre dentro de si.

Preparação para o eclipse – clarificar intenções

Eclipse Solar em Gémeos – 10 de Junho

Até ao eclipse de dia 10 de Junho (eclipse do Sol – Lua Nova em Gémeos), temos tempo para pensar e repensar no que queremos de novo na nossa vida.

Com Mercúrio retrógrado, o «novo» não será assim tão novo e inusitado. Temos é a oportunidade de reiniciar algo, de voltar atrás para continuar um projeto inacabado, de reaproveitar ideias e planos adormecidos ou esquecidos. Até dia 10, devemos avaliar muito bem o que queremos libertar das nossas vidas e o que vale bem a pena resgatar.

Talvez não se precise de comprar algo novo e seja mais indicado renovar, melhorar, aproveitar ao máximo o que já se tem.

Os primeiros dias de Junho são pautados por uma energia muito doce e ternurenta, que é sempre bem-vinda. Temos a oportunidade de estreitar e alimentar laços familiares e relações próximas. Há um acréscimo de generosidade e de compreensão mútua, assim como uma maior predisposição para a colaboração.

Atenção a uma certa tendência para exagerar nos gastos, na comida e na bebida, por exemplo, o que pode ter consequências desagradáveis nos dias seguintes.

Os primeiros dias de Junho também podem proporcionar uma energia muito mais fluida e benéfica no que diz respeito ao trabalho e ao estudo. A nossa mente está mais focada, permitindo-nos chegar a conclusões importantes e tomar decisões adequadas ao nosso futuro.

Estamos numa fase de enorme adaptação e por isso vamos sentindo alguns conflitos interiores (e exteriores). Estamos a reconstruir-nos e a reconstruir a nossa sociedade. Precisamos perceber, por um lado, quais são as regras que devemos continuar a seguir, quais são as responsabilidades que temos no futuro que estamos a criar, para nós e para os outros. Por outro lado, precisamos romper com algumas limitações e regras obsoletas. Não é tempo de simplesmente aceitar o que sempre foi, é tempo, isso sim, de mudar as regras do jogo.

As mais ínfimas ações podem ter enormes consequências. E por isso devemos refletir bem no que fazemos, desde as nossas grandes decisões até aos nossos pequenos hábitos. Devemos observar principalmente os nossos hábitos e vícios e aquelas maneiras que temos de reagir quando nos sentimos assustados, agredidos ou impotentes. É importante imbuir a nossa vida de significado e intenção. Para isso, temos de fazer o trabalho de nos observarmos, sem julgamentos, e de alterarmos o nosso mundo onde e como é possível: em nós.

Embora estes primeiros dias de Junho tenham uma energia muito doce e prazerosa, eles também têm uma espécie de «armadilha» para os incautos. A oposição entre Marte e Plutão vai trazer uma onda de energia inconsciente à superfície, para que possamos lidar com ela e transformá-la. A um nível físico é importante tomar mais atenção a perigos e riscos de acidente. A um nível psicológico, vamos ter de lidar com as nossas inseguranças e medos e à forma como os exprimimos ou como nos tentamos proteger.

Temos a oportunidade de usar a lógica, o raciocínio e a nossa capacidade comunicativa para ultrapassar algumas reações instintivas. Devemos vigiar a nossa tendência para nos fecharmos ou para sermos mais agressivos – ambas são mecanismos que aprendemos a usar para nos protegermos, mas que, na grande maioria das vezes, apenas aumentam a distância entre nós e uma vida feliz. Existe uma tendência para mal-entendidos, por isso, é importante resolver quaisquer conflitos ou desacordos que possam surgir com abertura, honestidade e diálogo sincero (com escuta atenta da outra parte).

A Escuta é uma qualidade a que devemos dar mais prioridade agora. Para escutar é preciso parar um pouco, dar verdadeira atenção – a nós, ao nosso corpo, ao que temos em redor, ao que o outro diz, ao que o outro pensa.

No meio de tantas palavras lançadas ao ar, de tantas «notícias», de tanta publicidade, de tanto chamamento para ter, para comprar, para ir, para seguir este e aquele… A confusão pode crescer até ao nível do afogamento do Ser. Por isso é importante parar um pouco e não ir tão depressa. É importante parar um pouco para escutar a verdade. É importante perceber o que motiva o outro. É importante redescobrir o que nos motiva e qual é a intenção com que queremos prosseguir o nosso caminho.

Tenhamos mais consciência das nossas motivações, do que nos faz querer algo e deixar de querer outro algo. Devemos escolher melhor as nossas intenções e mantê-las presentes a cada momento, para que a vida não seja apenas como calha.

Devemos intencionar aquilo que for melhor para nós. Até a maneira como estamos sentados agora vai repercutir-se (e bem) na nossa saúde dentro de algum tempo (meses ou anos).

Não deixemos tanto ao acaso.

Sejamos mais intencionais.

Façamos intenção no que for melhor para nós e no que for melhor para todos.

O que vamos intencionar (re)começar neste eclipse?

Tempo de domar o pensamento (e a língua)

Estamos naquela fase especial entre eclipses, em que tanta coisa muda de figura e de lugar. A oportunidade que temos agora é de escarafunchar dentro de nós o que realmente sentimos como Verdade, o que é que sentimos estar mais de acordo connosco e agir em concordância.

O Sol está numa conjunção à Cabeça do Dragão, em Gémeos. Há vontade de seguir em frente, há vontade de aprender, de ensinar, de conversar… Há muita vontade de tudo isto, há mil e uma hipóteses para o que podemos fazer, há milhões de ideias, pensamentos e palavras a abalroar-nos o cérebro, o que nos pode deixar bastante ansiosos e um tanto ou quanto loucos.

Neste momento, o poder é todo da palavra, da ideia, do pensamento. Tanto assim é, que podemos ficar reclusos de ideias e sufocados pelo pensamento. Podemos ficar tontos de tantos planos, esfaimados por saber em que é que cada um poderá resultar…

Mas Mercúrio, o mensageiro, abrandou o seu passo rápido e volta, aparentemente, para trás, no Céu. Dá-nos mais tempo para decidir, para pensar e repensar, para analisar melhor todas as faces da nossa realidade – a que já percecionamos e aquela que queremos criar.

Com Mercúrio retrógrado, as coisas avagaram. Neste tempo em que tudo é imediato, os temperamentos podem exaltar-se com a lentidão de um ou outro equipamento de telecomunicação… Ao passar-se ou receber-se uma mensagem, devemos ter o cuidado de verificar que o outro percebeu o que queremos dizer ou que nós percebemos o que o outro intencionava dizer. Nestas alturas costuma haver mais mal-entendidos e demoras, surgindo a oportunidade para reformular alguns planos, fazer uma maior preparação mental e ganhar mais clareza. Não se costuma aconselhar fazer compras importantes ou contratos nesta altura, mesmo por haver maior tendência para mal-entendidos e para voltar atrás, trocar, refazer, etc. Contudo, esta energia não é nenhum bicho de sete cabeças nem nenhum demónio. Acontece 3 a 4 vezes por ano e muito boa gente nasce com Mercúrio retrógrado no mapa (como eu :D).

Às vezes, voltar atrás é uma bênção. Permite-nos emendar, ou pelo menos tentar emendar algumas coisas. É aborrecido quando temos de desfazer uma peça de tricot (mais ninguém?!) ou quando um trabalho que estávamos a escrever há horas desaparece do computador. Mas esse tipo de situações obriga-nos a desenvolver qualidades importantes como o desapego, a atenção plena, o foco no objetivo e a vontade de fazer ainda melhor.

Voltar atrás não é apenas nesses casos de umas horas. Podemos voltar atrás em anos ou vidas e aprender tanto. Podemos até mudar o passado, o que é tão necessário. Vou ver se me faço entender. A «realidade» tem o seu quê de maleável. Primeiro, porque tudo o que existe são ondas interpretadas dentro de supercomputadores (nós). Segundo, porque depois de transformarmos ondas em cenários de luz, cor, som e infinitas sensações físicas, ainda dizemos ao nosso supercomputador interior o que é bom, o que é mau, o que é assim-assim, assado e cozido.

Ou seja,

O nosso poder reside em dar determinados significados às situações e acontecimentos. E é assim que podemos mudar o passado e desbloquear o presente.

Podemos viajar até ao passado, a esse lugar tão longe e tão perto, porque não existe em mais lugar nenhum senão dentro de nós, ver, ouvir e sentir fisicamente o que «aconteceu». E podemos mudar a história que nos contamos acerca do que aconteceu.

Temos o poder de libertar culpados (nós ou os outros), porque, na verdade, só podemos agir de acordo com a nossa consciência da altura e muitas vezes são os erros que nos fazem crescer em consciência.

Temos o poder de libertar tristezas e perdas, porque cada fim não é mais do que um início de outra fase.

Temos o poder de transformar feridas em forças.

Temos o poder de soltar amarras que outrora alguém nos fez colocar, é só pôr mais fé do que medo.

Temos um grande poder, esse de usar o pensamento e as palavras de forma a construir mundos, a construir vidas. Ou a reconstruir.

Está na altura de pararmos um pouco e domarmos de novo o pensamento e a língua.

Vamos dizer mais coisas que enriqueçam a vida dos outros e a nossa.

Vamos falar mais abertamente, mais docemente. Vamos ouvir mais compreensivamente. Vamos cantar mais.

Vamos direcionar o pensamento para formas mais construtivas, como um bom pai ou uma boa mãe que desvia a atenção do seu filho de uma tomada elétrica para um brinquedo seguro e educativo. Repetir nãos sem fim a uma criança tem o mesmo efeito do que tentar evitar pensamentos negativos e destrutivos. A meu ver, é realmente mais frutuoso quando decidimos desviar propositadamente a atenção para aquilo que queremos.

Cuidado é com as areias movediças das distrações, que abundam cada vez mais e tantas pessoas as acham bem-vindas, na medida em que lhes apaziguam momentaneamente a dor… Podemos acabar uma vida inteira distraídos (e quem sabe quanto tempo é essa «vida inteira»?!), chegando ao fim com a sensação vazia de não se ter feito uma diferença positiva no mundo, no mundo de alguém.

Estamos cá para fazer a diferença no mundo uns dos outros, hoje, amanhã, todos os dias.

Como poderemos fazer uma diferença mais positiva?

Tempos de Amor e Esperança

Entrada de Júpiter em Peixes – 13 de Maio de 2021

Hoje, quando acordei, vi mais um dia de chuva. Água e mais água. No meio de Maio… E lembrei-me que amanhã é dia 13! É a entrada de Júpiter em Peixes! E isso fez-me encher de alegria, entusiasmo e esperança! (isso e o facto de o Sol e a Lua terem entrado na minha casa 5, passando de uma «pasmaceira introspetiva» para uma vontade de ir dançar à chuva (não propriamente, mas eu gosto muito de exagerar para fazer passar o ponto de vista).

E agora perguntam-me: o que significa Júpiter em Peixes? Será realmente importante?

Júpiter aumenta e expande tudo e vai entrar num signo de Água. Daí eu me ter lembrado disso por ter visto a chuva de manhã (outra vez). É claro que a chuva não está ligada apenas a este trânsito, nem este trânsito ligado apenas a isto.

É MUITO MAIS importante. A última vez que Júpiter esteve em Peixes foi em 2010. Lembram-se?

Eu lembro-me. Foi quando voltei a Portugal depois de mais de um ano fora. E embora durante esse ano tivesse conhecido e vivido com pessoas maravilhosas, chegar a Portugal e ao Alentejo foi como entrar no paraíso. Senti-me mais «ligada» do que nunca. As coisas mais «simples», como as árvores ou as vacas a pastar (eu tinha chegado de uma terra árida) faziam-me sentir uma felicidade pura…

Em geral, o que podemos esperar destes períodos de Júpiter em Peixes?

A primeira coisa e aquela por que tenho esperado, é uma abertura maior dos corações, uma maior conexão entre nós, uma maior ligação ao lado espiritual da vida. Até quem ainda não tem uma grande consciência deste lado espiritual, vai beneficiar de um maior sentimento de amor, sensibilidade e beleza, através das artes e do humanitarismo, por exemplo.

A energia de Aquário ainda é forte (Saturno ainda lá está e Júpiter ainda vai lá voltar), o que quer dizer que vamos continuar preocupados com o futuro, em reformular a nossa sociedade (a nossa família, os grupos a que pertencemos), a tentar fazer diferente para seguir em frente. Valores como a individualidade e a liberdade continuam como foco (e batalha).

A diferença é que agora vamos ser lembrados de ativar também o nosso coração e a nossa sensibilidade.

Vamos estreitar a nossa ligação a um poder superior, aumentar a nossa confiança naquilo que podemos fazer, naquilo que pode acontecer.

A vida começa a fluir melhor, até porque a nossa intuição está aumentada.

A compaixão inunda-nos e a entreajuda pode levar-nos bem mais longe rumo aos nossos objetivos. Aliás, mais do que sermos orientados por objetivos, seremos orientados por ideais.

Podemos fazer uma grande diferença no nosso mundo, agora, enquanto nos tornamos mais compreensivos, mais compassivos e nos dedicamos mais a ajudar quem temos em redor.

É tempo de voltarmos a alinhar os nossos caminhos com o nosso propósito, porque sem isso a vida torna-se fria e seca. Quando nos ligamos realmente ao nosso coração, ao impulso da nossa Alma, o caminho abre-se como se tivesse setas luminosas. Sabemos, claramente, dentro de nós, o que temos de melhor e o que viemos dar ao mundo.

Se vamos entrar no paraíso?! Claro que não, vamos é ter uma boa ajuda para trazer à nossa vida mais momentos de amor, generosidade, beleza, união, fé …

Se toda a gente vai sentir isto? Cada um senti-lo-á à sua maneira, dependerá do seu mapa pessoal e, principalmente, da fase em que está no seu caminho de evolução. Muita energia de Peixes também pode ser usada de forma negativa, como forma de escapismo (álcool, drogas e outros vícios, por exemplo), falta de vontade para encarar e resolver os problemas e um estado de depressão ou desilusão. Peixes também pode estar ligado a sofrimento (e há pessoas que são viciadas no sofrimento, em vez de deixarem partir as suas dores). Eu tenho um filhote Peixinho e muitas vezes tem uma forma lamurienta de chamar a atenção (ou pelo menos é assim que eu vejo). Devemos tentar estar atentos a estes aspetos, nos outros e em nós – todos temos Peixes no mapa!

É altura de nos ligarmos mais e melhor, através de uma tecnologia extremamente avançada – o campo magnético do nosso coração.

É altura de nos compreendermos realmente e de nos entreajudarmos, de cuidarmos uns dos outros e daquilo que é de todos.

É altura de cultivarmos a nossa imaginação, de seguirmos sonhos.

É altura de termos experiências mais enriquecedoras a nível interior.

É altura de voltarmos a encher-nos de otimismo e esperança.

Datas de Júpiter em Peixes: 13 de Maio de 2021 a 28 de Julho de 2021; 28 de Dezembro de 2021 a 10 de Maio de 2022; 28 de Outubro de 2022 a 20 de Dezembro de 2022.

Criar estabilidade

Lua Nova em Touro – 11 de Maio de 2021, 19:01

Já passámos pela energia chocante de Úrano. Se tudo correu bem, resolvemos mudar pelo menos alguma coisa na nossa forma de ver e viver. Também já passámos pela dificuldade da quadratura a Saturno, que nos mostrou obstáculos que precisamos transpor e nos relembrou que não temos o tempo todo e que não podemos deixar tudo para amanhã.

Esta Lua Nova vem ajudar-nos a enraizar estas mudanças em nós e a criar uma nova estabilidade, depois dos grandes ajustes que fizemos nas duas últimas semanas.

A um nível prático, a energia de Touro está ligada ao que temos – dinheiro no banco, roupas no armário, comida na despensa. Está ligada ao instinto para nos sentirmos seguros, queremos possuir coisas, sentir abundância nas nossas vidas, aproveitar os luxos (pequenos ou grandes) da vida. Mas hoje em dia, vemo-nos tão enredados e manipulados para ter e comprar mais e mais e mais, que realmente perdemos a consciência do quanto temos e nos esquecemos do maior segredo por trás da abundância: uma atitude de gratidão.

Investir alguns momentos do nosso dia para darmos valor a tudo o que temos pode retirar-nos a sensação de escassez que somos levados a ter por esta cultura de consumismo.

Touro convida-nos a parar, a aproveitar o melhor da vida. O engano está em pensar que o melhor da vida é o último telemóvel que saiu, ou mais aquele par de sapatos que combinam perfeitamente (e apenas) com aquela mala.

Mas o engano às vezes ainda é pior: está em pensar que o melhor da vida vem depois, quando o curso acabar, quando a pessoa «especial» surgir, vem na folga, vem nas férias, vem na reforma, e há até quem pense que o melhor da vida vem depois da morte…

O melhor da vida é agora, este instante e esta respiração. Estar sempre a desejar por algo mais à frente que possa fazer-nos sentir melhor ou mais felizes é a receita para uma vida que passa sem se dar conta.

Em vez de perdermos o tempo todo à procura do que queremos TER, desde coisas a circunstâncias que nos ajudem a apreciar a vida, devemos perguntar-nos o que queremos SER para apreciar mais a vida.

Esta Lua Nova em Touro traz-nos sementes para uma grande transformação, a nível interior e exterior. Traz-nos oportunidades para voltarmos a sentir estabilidade, abundância e gratidão por tudo o que temos. Vai ajudar-nos no nosso processo de crescimento e evolução. É claro que também temos de fazer a nossa parte. Os astros mostram como está a energia e a tendência das nossas vidas, mas nós temos de fazer a nossa parte, agarrar as oportunidades, alterar comportamentos…

A oportunidade é de grande crescimento, de ganhos. A nossa parte é alinhar as nossas prioridades para se tornar mais claro onde investir e onde deixar de «gastar». Uma coisa é o preço das coisas e outra é o seu valor. Há coisas que têm um preço alto e que também são valiosas, mas as duas coisas nem sempre estão diretamente relacionadas. Agora temos de refletir acerca do valor das coisas.

Valerá a pena comprar algo barato que se estraga dois dias depois?

Será correto comprar algo por ser barato, desvalorizando o trabalho de quem o fez?

Será que aquilo em que investimos o nosso dinheiro nos dá retorno em termos de bem-estar, saúde e até felicidade?

Mas além de refletirmos no valor das coisas e de ganharmos maior consciência de como empregamos o dinheiro, devemos, além de tudo, refletir no nosso próprio valor, no que temos feito (ou não) para nos valorizarmos, e naquilo a que damos mais valor na vida.

Quando não pensamos muito acerca do que é mais importante para nós, tomamos decisões confusas que nos levam por caminhos indesejados.

Quando a saúde é uma prioridade, devemos cuidar dela.

Quando a família é uma prioridade, devemos cuidar dela.

Quando o trabalho é uma prioridade, devemos cuidar dela.

Quando uma relação é uma prioridade, devemos cuidar dela.

Os problemas surgem, como é óbvio, quando tomamos as coisas como «nossas», como adquiridas e deixamos de cuidar delas. Ou por vezes damos prioridade em demasia a um ponto, descurando os outros, igualmente importantes para nós.

Depois dos últimos abalos, penso que estamos num ponto ideal para voltar a organizar a nossa lista de prioridades e a equilibrá-las melhor. Às vezes nem é uma questão da quantidade de tempo ou de energia dedicada a uma área das nossas vidas – é a qualidade. E por isso é que a reflexão sobre os nossos valores é importante. Por exemplo, o trabalho pode ser algo importante para nós, mas se nos dedicarmos a ele à custa de horas de sono ou à custa de refeições rápidas e sem nutrientes, acabamos por sofrer quebras na saúde, o que se vai refletir negativamente no trabalho.

Ao delinear a nossa lista de valores e de prioridades temos de ter em conta aquelas que nos fazem sentir melhor connosco. Essas são a nossa base. A nossa saúde, não só a física, mas também a mental e emocional tem de ser a nossa base, o nosso pilar, porque é o que nos vai ajudar a ultrapassar quaisquer obstáculos nas outras áreas da nossa vida.

Que todos possam beneficiar, cada um à sua maneira, do crescimento estável que esta lunação vem simbolizar. Que nos encha o coração de gratidão e que nos traga abundância em tudo o que nos faz felizes!

Nota: As pessoas que são mais influenciadas pelas lunações são aquelas que têm planetas no seu mapa natal próximos do grau dos planetas em trânsito.

A revolução em nós

28 a 30 de Abril – Sol em conjunção com Úrano

Estes são dias para encontrarmos novas verdades e perspetivas absolutamente frescas sobre nós, os outros e o mundo.

É altura de descobrir algo importante ou arranjar soluções inovadoras e originais para questões existentes.

Temos uma visão mais abrangente e mais otimista das situações e circunstâncias, o que nos permitirá dar um grande passo rumo ao futuro.

É altura de romper com estagnações e de afirmarmos a nossa maneira única de ser.

Somos avidamente convidados para ser a mudança, para fazer a mudança. Caso contrário, vamos «sofrer» a mudança.

Surgem ideias novas e conhecemos pessoas novas que nos abrem a mente e os horizontes.

Focamo-nos no futuro e podemos alterar um pouco mais das nossas crenças limitadoras.

De que forma é que aquilo em que acreditamos pode alterar a forma como nos sentimos bem, confortáveis e seguros?

Acreditamos que somos suficientemente valiosos? Cuidamos do corpo como algo precioso? Cuidamos do planeta como algo precioso?

Acreditamos que o dinheiro nos trará tudo o que queremos e precisamos ou temos sabedoria para reconhecer tudo o que temos de bom?

Será que damos o devido valor aos nossos talentos e capacidades, cultivando-os e fazendo-os crescer?

Será que nos reconhecemos como uma parte importante deste mundo, cuja verdade é necessária para a evolução de todos?

Estes são dias de revolução, interior e exterior. Primeiro, voltamos a despertar, redescobrimo-nos, libertamo-nos de sonolências, hipnoses e mentiras que nos retiram o poder pessoal. Voltamos a vestir orgulhosamente a nossa pele. A seguir, mudamos o mundo. Com uma atitude de cada vez.