Descobrir Verdades Encobertas (23 – 26 de Abril)

As nossas ideias e as nossas palavras correm rápidas, espontâneas, por vezes sem filtros, e quando damos por nós, já foi… Temos pressa em tomar decisões e experimentamos mais em vez de estudarmos hipóteses e avaliarmos resultados. (Mercúrio está em Carneiro)

Como é óbvio isto tem as suas vantagens – realizar avanços, agitar «as águas», ganhar vontade de agir, ganhar coragem para nos fazermos ouvir. Surgem novas ideias rapidamente e queremos vê-las ganhar corpo o mais depressa possível.

Durante os próximos dias (23 a 26 de Abril), Mercúrio vai fazer aspetos importantes e por isso é bom estarmos extremamente conscientes daquilo que pensamos e daquilo que dizemos.

Photo by Eternal Happiness on Pexels.com

A quadratura com Plutão (exata no dia 25), faz aumentar o medo, bem como a desconfiança de que há algo que não está a ser dito. É uma altura de maiores obsessões, e as nossas reatividades, as nossas respostas instintivas, vão estar em alta. A mente entra em modo de defesa, por se sentir ameaçada (ameaças de que desconfiamos) e podemos facilmente entrar em guerras verbais, em que um tenta convencer o outro de que a sua ideia é melhor e mais verdadeira. Estas «guerras» serão mentais em muitos casos – o problema não será tanto o que se diz, mas mais o que é deixado por dizer.

Photo by Oleg Magni on Pexels.com

Em geral, há um sentimento de que a Verdade não está a ser passada, o que vai fazer com que a procuremos (e a tentemos mais tarde divulgar) com grande intensidade.

Plutão vai iniciar o seu movimento retrógrado (25 de Abril até 4 de Outubro) e, como (aparentemente) para, antes de mudar de direção, o seu efeito pode sentir-se bem mais pesado, com maior confusão, com aumento dos problemas. Do lado positivo, como acabamos por ver melhor os problemas e como vamos ter muita vontade de procurar a verdade, de investigar o que está por trás do que nos dizem, de perceber melhor as nossas motivações, as motivações dos outros, acabamos por aliviar a pressão que temos vindo a sentir.

Além disso, percebemos melhor também de que forma nos andamos a sabotar, querendo controlar o que não podemos e caindo em comportamentos que não nos são benéficos.

Photo by Keenan Constance on Pexels.com

Mais do que perceber onde é que o mundo (governo, covid19, economia, marido, mulher, filhos…) está contra nós, devemos perceber onde é que nós estamos contra nós. Esse é o segredo para voltarmos a sentir (pelo menos algum) controlo da nossa vida. É normal que com tudo o tem acontecido, tenhamos entrado numa espécie de piloto automático, que nos permite sobreviver, mas que não nos permite alegria de viver.

E, na minha opinião, viver sem alegria é pior do que morrer.

Portanto, vamos aproveitar os próximos dias para olhar corajosamente para os nossos «podres». Os nossos. De nada nos vale encontrarmos podres onde não temos mão para limpar.

O cérebro é plástico, é moldável. O hábito, a repetição, torna determinados pensamentos, determinadas formas de pensar (e consequentemente comportamentos), mais naturais para nós. Agora é altura de ver aquilo que se tornou «natural» para nós, um hábito, e que acabou por nos prender, controlando-nos sem que tivéssemos noção (julgar os outros, medo de ser julgado, tentar controlar, ter medo de ser controlado…).

Photo by Pixabay on Pexels.com

As nossas mentes precisam e vão ser abertas durante os próximos dias. Mas cuidado com o que sai de lá. Existe tendência para exagerar e para tirar conclusões precipitadas.

O melhor é avançar com coragem, mas com cuidado. Existe a oportunidade de descoberta, de alargamento de horizontes. Informações antes escondidas, secretas ou manipuladas, poderão ser conhecidas.

O Sol faz o seu encontro anual com Úrano (no dia 26 de Abril), abrindo novas perspetivas, novas soluções, ajudando-nos a romper com o que é velho. O foco estará em inventar, inovar, fazer diferente, olhar para a frente.

Mas o maior foco deverá ser nos nossos valores. Naquilo que é mais importante para nós e que deveria ser a nossa bússola para a vida.

Photo by Pixabay on Pexels.com

Quando nos deixamos «adormecer», damos o poder a outros para nos programarem. Andamos por aí como zombies, em piloto automático e acreditamos que a vida e o mundo é aquilo que a televisão e o facebook dizem.

Está na altura de abrir os olhos, de alimentar em nós a pessoa viva, aquela que questiona, que procura respostas, soluções, alternativas, que se indigna perante injustiças e inverdades, que reclama o poder de chegar às suas próprias conclusões.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: