Eclipse do Sol em Sagitário

A Luta pelos Ideais – 4 de Dezembro de 2021

Este vai ser o último eclipse em Sagitário até 2029. Vamos lá aproveitá-lo como deve ser!

O Sol e a Lua estão em conjunção com Mercúrio, no expansivo signo de Sagitário. Como estamos a lidar com uma Lua Nova, estamos a preparar-nos para o início de uma nova fase das nossas vidas.

O símbolo de Sagitário é a seta do arqueiro, uma seta apontada para o alto e para longe.

Qual a visão que temos à nossa frente, o que pretendemos para o nosso futuro? Esta é uma fase para alargar grandemente os nossos horizontes, para nos permitirmos aprender, crescer, viajar, conhecer. A energia é bastante otimista e focada no futuro, nas coisas que vão nascer e crescer nas nossas vidas, ao longo dos próximos meses.

A ligação positiva entre o par Sol/Lua e Saturno reflete a nossa capacidade para sermos realistas e organizados naquilo que queremos fazer crescer, caminhando em frente por solo firme.

O Sol e a Lua também estão a comunicar com Úrano, simbolizando realmente um bom impulso em frente, apesar de algumas inseguranças. É uma fase para renovarmos uma área importante da nossa vida, deixando cair ideias ultrapassadas e crenças limitadoras.

Aquilo em que acreditamos é um foco enorme nesta altura e vai ser a semente que veremos crescer na primeira parte de 2022.

O regente do eclipse, Júpiter, está em Aquário e forma uma quadratura com Marte em Escorpião. Isto simboliza que teremos uma enorme energia ao nosso dispor e que teremos uma grande capacidade para agir de acordo com aquilo que acreditamos. Devemos ter apenas cuidado com fanatismos, porque a altura é propícia a lutas pelos ideais e nem todos lutamos pelos mesmos… Como existe a tendência para exagerarmos nas reações, devemos cultivar a calma de antemão e tentar manter-nos abertos para conhecer as perspetivas dos outros. Esta é uma fase para alargarmos o nosso ponto de vista e uma forma de isso acontecer é escutando e percebendo os pontos de vista dos outros.

Este eclipse é um marco na nossa busca pela Verdade e certamente veremos informações e notícias importantes a serem reveladas. Contudo, estando nós a finalizar o trânsito dos nodos da Lua pelo eixo Sagitário/Gémeos, devemos ter aprendido ou recordado que a Verdade tem muito que se lhe diga, que não podemos assumir certezas inabaláveis, nem que haja «donos da Verdade». Em cada situação, existem muitas faces, muitos contornos… Uma coisa pode (e tem) diferentes significados e importâncias conforme as lentes com que é vista. Devemos lembrar-nos disto quando nos é apresentada informação. A nossa perspetiva conta muito, conta quase tudo, pode dar-nos o poder ou deixar-nos totalmente vulneráveis. Um copo meio cheio pode estar meio vazio para outra pessoa, mas também pode estar completamente cheio, se contarmos com o ar que o preenche; e também pode estar praticamente vazio, se considerarmos que 99,99999% dos átomos que constituem tudo é vazio.

A nossa felicidade depende da interpretação que fazemos dos acontecimentos, do significado que damos aos nossos dias. Este eclipse traz uma bela oportunidade para escolhermos ser mais felizes, dando-nos espaço para relativizar, para ressignificar, para nos libertarmos de dores da alma, usando obstáculos do passado como degraus para chegar ao futuro…

Durante todo o mês de Dezembro, Vénus estará bastante próxima de Plutão, e isso já estará patente na altura do eclipse, no início do mês. Isto simboliza a necessidade premente de aprofundarmos e regenerarmos as nossas relações. Não é, de todo, uma fase para superficialidades, as relações tornam-se mais intensas, mais poderosas, existe maior partilha, maior intimidade. A busca pela verdade também se nota bastante acesa a este nível, as coisas não se conseguirão manter ocultas por muito tempo. Será precisa coragem, pois este processo de aprofundar relações implica uma honestidade que nem sempre temos, porque não costumamos gostar de revelar certas partes de nós. Existem medos, vergonhas, arrependimentos, inseguranças que precisam de ser trabalhados, assumidos por nós próprios a nós próprios, pois a relação connosco é a mais importante e aquela que vai ser espelhada por todas as outras relações que mantemos.

A conjunção entre Vénus e Plutão remete-nos para uma renovação de votos connosco, com o outro, com o mundo. O que estamos dispostos a fazer para nos sentirmos melhor connosco? O que estamos dispostos a dar? O que estamos dispostos a receber? Os desequilíbrios na energia de troca tornam-se muito óbvios nesta fase e necessitam de um reinício. Nem sempre estamos abertos para receber, nem sempre nos sentimos confortáveis a dar, mas agora as trocas tornam-se muito intensas e percebemos o que temos de mudar. Novos significados também são necessários quando damos e quando recebemos. O que será dar demais? O que será receber demais? Qual é o valor que damos às coisas? Qual é o valor que damos ao nosso tempo, ao nosso trabalho? Qual é o valor que damos às pessoas? Esta é uma altura para darmos, propositadamente, maior valor ao que e a quem é mais importante para nós.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: