Lua Cheia em Caranguejo (17/1/21)

Esta Lua Cheia em Caranguejo acontece sempre na época de Capricórnio (quando o Sol transita por este signo), pois os dois signos formam um eixo, opõem-se e complementam-se. Acontece que esta Lua Cheia ocorre durante a conjunção anual do Sol a Plutão, o que torna tudo bastante mais especial. Esta energia estará bem ativa entre 15 e 17 de Janeiro.

Nesta fase, é provável que se levantem questões de poder e autoridade, podendo surgir conflitos. Para os evitarmos ou melhor resolvermos, devemos ter a coragem de ser honestos com aquilo que sentimos. Mas antes de sermos honestos com aquilo que sentimos, temos primeiro de mergulhar dentro do que sentimos, sem medos de enfrentar as trevas do Eu.

Esta energia pede-nos uma transformação do sentido que temos de nós, de quem somos, principalmente enquanto membros de uma família e, de uma forma geral, da sociedade. Portanto, está na hora de fazer grandes ajustes no poder que exercemos ou que deixamos que exerçam em nós.

Plutão está nos últimos graus de Capricórnio, em «breve» (2024), entrará em Aquário, trazendo uma energia que ainda nenhum de nós experienciou. Até lá, temos os exames finais acerca do uso do poder com responsabilidade. Como é que nos temos estado a safar com isso?

Uma das maiores simbologias de Plutão é aquela palavra assustadora: a Morte. É muito natural que tenhamos de lidar com esse tema de alguma forma. Devemos lembrar-nos, contudo, de que a Morte/Fim é um portal de transição, em que um ciclo ou uma fase termina, para abrir espaço a que outro ciclo ou fase se inicie.

Devemos refletir acerca dos nossos desejos e ambições, acerca do verdadeiro significado do sucesso, ou seja, o que significa o sucesso para nós…

Precisamos de examinar profundamente a relação que temos com o tempo: seja com o tempo que temos hoje, a forma como o distribuímos pelas nossas diferentes atividades e tarefas; seja com o tempo que temos na vida, de que maneiras precisamos de nos realinhar com o nosso propósito, para preenchermos a vida de significado.

Para equilibrar a energia de Capricórnio com a de Caranguejo, devemos perceber se os nossos objetivos nos alimentam a nível emocional. Podemos andar perdidos a desejar reconhecimento e conquistas materiais apenas porque somos condicionados a isso. Não que essas coisas estejam inerentemente erradas, o que está errado é desligarmos o sucesso exterior do sucesso interior. Tem que haver integridade, alinhamento de propósito, interligação entre o que somos e o que fazemos.

A Lua em Caranguejo quer levar-nos a casa, quer que nos lembremos de onde viemos e como isso contribui para quem somos.

A vida não pode ser apenas uma sequência de esforços, trabalhos, ganhos materiais e luta por objetivos. Quem segue apenas por esse caminho acaba por perder a essência. E esta é uma fase para nos lembrarmos da nossa essência. Vamos ter de parar um pouco e olhar para dentro, temos de reforçar a ligação ao nosso interior, a quem somos por dentro, para além de tudo o que fazemos e dos diferentes papéis que desempenhamos no mundo.

A vida tem um ritmo próprio, tem marés… Por vezes é necessário fazer, conquistar, realizar… outras vezes é necessário repousar, cuidar, nutrir…

Nestes dias de extrema sensibilidade, devemos tentar cuidar das nossas emoções, sem nos perdermos em comportamentos inconscientes ou reativos.

Devemos proteger-nos das adversidades, dando um bocadinho mais de atenção ao que se passa dentro de nós – a nossa criança interior pode precisar de colo.

Tomemos mais atenção à nossa família e aos cuidados de que precisa agora. É tempo de nos aproximarmos e de curarmos as nossas relações mais próximas.

As transições importantes fazem-nos muitas vezes sentir como se não tivéssemos chão. Por isso, os abraços e o aconchego das nossas pessoas são vitais. O contato físico com quem nos é próximo tem o poder de libertar hormonas que nos fazem sentir seguros e amados.

Mas o contato físico não é a única forma de fazermos isso. Mostrar às pessoas que nos preocupamos com elas, que são importantes para nós, também é essencial. E não deveríamos esperar até ser óbvio que alguém precisa de nós. Primeiro, porque uma relação requer manutenção, atenção regular. Essa atenção, embora possa parecer corriqueira, pode ser o antídoto para grandes males. A atenção que damos a alguém pode converter-se na arma que esse alguém usará para combater as suas trevas, quando elas se avizinharem.

Sejamos honestos, todos temos de enfrentar as nossas trevas, as nossas sombras, de vez em quando… Por vezes são rápidas, outras vezes demasiado intensas… Mas a passagem pelas nossas sombras será sempre menos difícil se tivermos o apoio de alguém.

Talvez precisemos de um psicólogo, que nos ajude a processar tudo.

Mas também precisamos de saber que temos alguém que nos dê colo e essas pessoas não surgem do dia para a noite. São pessoas que estão lá sempre, mesmo que não tenham estado desde sempre… Estas relações estão em foco agora. Talvez nos arrependamos de não «ter estado lá» o suficiente, porque andámos demasiado envolvidos nos nossos afazeres ou nas nossas próprias trevas. Às vezes acontece ser tarde demais, quando percebemos isso.

Que tenhamos agora maior consciência da nossa Alma e das Almas que escolhemos para viajarem connosco por esta Vida. É tempo de cuidar do nosso coração e de quem lá mora.

Para retirar o melhor desta Lua Cheia, aconselho-vos a meditação da Viagem Interior:

https://centroalma.blog/2022/01/13/viagem-interior/

Sejam felizes!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: