Eclipse lunar em Escorpião

15/16 de Maio de 2022

Temos o Sol em Touro, a mostrar-nos o caminho que devemos seguir agora. Estamos numa fase importante para perceber melhor as nossas prioridades e aquilo que acrescenta valor à nossa vida.

Estamos a tentar perceber como tornar as nossas vidas mais estáveis e como simplificar algumas coisas. Desejamos, mais do que tudo, sentir-nos seguros e confiantes, mas para isso precisamos de avaliar os recursos que temos ao nosso dispor.

Será que temos dinheiro suficiente?

Tempo suficiente para realizarmos o que queremos?

Será que temos as capacidades necessárias?

O mais certo é que tenhamos de nos esforçar para aumentar os nossos próprios recursos, sejam eles materiais (como dinheiro, casa, carro, electrodomésticos, ferramentas…) ou psicológicos (calma, paciência, perseverança…).

A Lua em Escorpião vem agitar bastante as águas emocionais. Traz-nos episódios de crise que poderão ser repetições ou memórias de situações traumáticas. Estas situações não devem servir apenas para nosso sofrimento, embora possam ser bastante dolorosas…

O que estamos a viver agora deve servir para aprendermos valiosas lições acerca de intimidade e partilha, acerca de segredos e privacidade, acerca de fins e de morte, acerca de abrir mão de algo…

Tem de se tornar óbvio para nós que tipo de atitudes, mais instintivas e reativas, devemos deixar para trás, de forma a podermos construir uma vida mais pacífica e harmoniosa. Às vezes, somos controlados pelas nossas emoções e isso torna-nos escravos da dor. Na tentativa de minimizarmos a dor e o sofrimento, podemos cair no erro de criar mais dureza, para não mostrarmos vulnerabilidade. Quem é que gosta de mostrar fraqueza?! Contudo, a rigidez que às vezes criamos em nós, acaba por nos quebrar, mais cedo ou mais tarde. O melhor que podemos fazer é sempre assumir a vulnerabilidade e viver em flexibilidade…

Ao fazermos uso da coragem para nos mantermos abertos, continuamos a ter a possibilidade de nos ferirmos, claro, mas, o mais importante, é que não eliminamos a possibilidade de nos curarmos. A cura só pode surgir quando temos acesso livre àquelas partes de nós que mais nos metem medo, que nos fazem sentir inseguros. Temos de ter a coragem para encarar as mensagens que a vida nos traz, por vezes de forma tão dura, mas que são necessárias para a nossa evolução.

Nesta fase, devemos tomar mais consciência dos desafios existentes na nossa intimidade, na nossa capacidade de partilhar verdadeiramente. Até que ponto somos capazes de mostrar ao outro o nosso lado mais sombrio? Até que ponto estamos dispostos a trabalhar em conjunto esse lado que nos envergonha e nos amedronta? Será que estamos a dar demais e não nos abrimos a receber? Será que andamos a sugar demais sem nos disponibilizarmos a dar?

Torna-se claro que não poderemos ter tudo, pelo menos com facilidade. Precisamos de repensar os nossos planos, para torná-los mais fiáveis. Na restruturação dos nossos planos, tem de estar incluída uma nova visão para o futuro, que não seja tão ilusória ou utópica, mas que tenha uma boa base prática e fundamentada. Vamos ter de abrir mão de algumas coisas, para que outras possam crescer e florescer. Do que estamos dispostos a abrir mão? Esse processo não costuma ser fácil, mas é absolutamente necessário. Temos que deixar partir alguma coisa que fazia parte das nossas vidas, para que possamos seguir em frente e criar mais estabilidade e segurança.

Devemos também estabelecer fronteiras mais claras referentes à nossa privacidade, à nossa intimidade. Nem toda a gente precisa de saber tudo sobre nós. É importante ter esse cuidado e aprender a discernir preocupação de curiosidade.

Não são apenas as relações mais íntimas que precisam de maior atenção. As amizades e as relações familiares também precisam de foco e reflexão, talvez algumas precisem de maior aproximação, talvez outras precisem de maior distanciamento. Quem queremos realmente ao nosso lado?

Estamos numa fase com grande potencial para a nossa transformação, para a nossa evolução, mas para isso temos de encarar e lidar com a realidade tal como ela se nos apresenta agora. Sem dúvida que custa, pode estar a ser pedido muito de nós. Mas, se nos mostrarmos disponíveis, podemos subir de nível na nossa consciência. Podemos ganhar um novo grau de maturidade e mestria para lidar com os desafios. E dessa forma, seremos capazes de começar a agir de acordo com aquilo que queremos fazer acontecer, em vez de continuarmos a comportarmo-nos como fizemos até agora, o que não nos vai levar a nenhum sítio diferente.

Poderá haver alguma confusão e incertezas em relação ao caminho que devemos tomar, àquilo que devemos fazer. Em breve isso tornar-se-á mais claro. Agora, devemos aproveitar para sentir plenamente as nossas emoções e aprender a elevá-las, através do reconhecimento das mensagens e lições de vida que lhes são inerentes. A partir daí, poderemos libertá-las e estaremos prontos para começar uma nova fase bem mais leves e muito melhor preparados.

Numa fase de tão intensas mudanças, pode ajudar voltar a ler o artigo com a previsão de energia para este ano, para cada signo. Qual é a área em que pretendem crescer? O que precisam de deixar para trás, para que isso aconteça?

Que este eclipse sirva para aprendermos a criar mais paz e harmonia na nossa vida!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: